Páginas

Translate

mapa

translator

contador

ClustrMaps

ENOBLOGS

terça-feira, 10 de agosto de 2010

BAGÉ RIO GRANDE DO SUL Monografia - nº 022 Ano: 1960 IBGE - Resumo da Monografia.

ASPECTOS HISTÓRICOS

EM 1752 Espanha e Portugal resolveram demarcar divisas entre as possessões de um e de outro reino.

As forças hispânicas e portuguesas incumbidas dessa missão, ao atingirem a Fazenda de São Miguel (hoje, Município de Bagé), foram detidas pelo índio Sepe Tiaraju, em nome do lendário Império Guaranítico.

Na defesa de São Miguel encontrava-se o índio Ibagé, cujo nome se transmitiu à região,originando-se daí o topônimo Bagé. (Comentário: Uma informação polêmica).

O Império (comentário - Uma descrição da Missões também discutível) indígena foi aniquilado, todavia, três anos depois, pelos exércitos espanhol e português, comandados pelos generais Ardonagui e Gomes Freire de Andrade.

Em 1763 a Espanha revogou o Tratado de Madri e iniciou a invasão das possessões portuguesas,conquistando, logo de início, a Colônia de Sacramento (no atual Uruguai).

Em breve, o Rio Grande foi outra vez palco de guerra, invadido por um contingente de 5 mil castelhanos (vindos para a conquista do "Continente do Rio Grande de São Pedro").

Em 1773, por ordem de D. Juan José de Vertiz y Salcedo,construiu-se, para alojar as tropas espanholas, o Forte da Virgem Mártir Santa Tecla em São Miguel (a aproximadamente 7 quilômetros da atual Cidade de Bagé ).

Durou três anos a ocupação militar castelhana do território sul-rio-grandense, na faixa compreendida entre o sul do Jacuí e a Lagoa dos Patos.

Com a derrota sofrida em 1776 - a tomada do Forte de Santa Tecla pelas tropas de Pinto Bandeira, depois de 27 dias de luta tenaz - viram-se os espanhóis, para continuar a resistência,compelidos a adotar a tática de guerrilhas.

Só foram definitivamente expulsos das Missões em 1801.

Naquele ano, Portugal, agredido pela Espanha, entrou em guerra com este país.

A luta, deflagrada entre os dois povos na Europa, propagou-se,no mesmo ano ao Rio Grande do Sul, onde forças brasileiras reconquistaram, em rápida ação, o território das Missões, que permanecerá, daí por diante. na posse definitiva do Brasil.

O território conquistado foi dividido em sesmarias, sendo beneficiados os oficiais e praças que se distinguiram na luta.

Por essa época, D. João VI resolveu apoderar-se dos Vice-Reinados sul-americanos.

Para tal fim,concentrou forças poderosas no sul do Império, sob o comando de Dom Diogo de Sousa.

Este, a 11 de junho de 1811 (Comentário - o texto era de 1960, período em que o debate sobre a data de fundação de Bagé - 17 de julho de 1811 - ainda era muito presente), iniciou a marcha sobre Montevidéu, não antes de fundar Bagé e nomear um comandante para o distrito.

No ano seguinte, construiu-se a primeira capela, sob a invocação de São Sebastião,

elevada à categoria de freguesia durante o mesmo ano.

Progredindo sempre, a freguesia de Bagé foi declarada curato em 1814 e paróquia em 1846. (Comentário - em 1846, São Sebastião de Bagé foi elevada a Vila).

Em 1850, era criada em Bagé uma segunda paróquia: N. S.a da Conceição.

A terceira paróquia Bageense, N. S a Auxiliadora, surgiu sete decênios depois, em

1919.

Durante a Campanha Cisplatina (1825-1828), a povoação, ocupada por duas vezes pelo exército argentino-uruguaio, sofreu danos de vulto e teve o seu templo destruído (Comentário: a informação que sugere a palavra "destruído" precisaria de um debate mais profundo).

Também durante a Revolução Farroupilha, Bagé esteve envolvida nos acontecimentos, tendo sido dominada pelos revolucionários.

Em território Bageense travou-se o combate de Seival, em 10 de setembro de 1836 (comentário - Campo dos Menezes, 11 de setembro de 1836?), graças ao qual os insurretos proclamaram a República Rio-grandense.

FONTE: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/riograndedosul/bage.pdf  . Acessado em: 9 de agosto de 2008. Hora: 00:28 h.

Nenhum comentário: