Páginas

Translate

mapa

translator

contador

ClustrMaps

ENOBLOGS

segunda-feira, 26 de julho de 2010

HISTÓRICO SOBRE OS SALESIANOS EM BAGÉ

ARQUIVO PÚBLICO MUNICIPAL DE BAGÉ

CLAUDIO ANTUNES BOUCINHA

BAGÉ, 2004-01-12

SALESIANOS EM BAGÉ: ORIGENS E TRANSFORMAÇÃO

gamba.jpg

Figura 1http://www.salesianosuruguay.org/historia/images/testigos/gamba.jpg.

A Chegada

A vida religiosa em Bagé se desenvolveu com a chegada dos reverendíssimos padres Salesianos de Dom Bosco a esta cidade.

Atendendo ao pedido do Cônego Bittencourt, então vigário da Paróquia de São Sebastião de Bagé, os Superiores Salesianos mandaram os beneméritos padres a fim de abrirem uma casa para educação e instrução dos filhos da terra de Bagé.

O Exmo. Cônego Bittencourt faleceu e veio ocupar o lugar vago, para dirigir a paróquia, o Exmo. Monsenhor Costabile Hypólito[1], em 1906. [2]

Os primeiros Salesianos vieram do Uruguai, uma vez que a Inspetoria mais próxima de Bagé era daquele país[3].

As autoridades municipais solicitaram ao padre Carlos Peretto[4] - Inspetor Salesiano do Uruguai[5] - e o mesmo enviou os padres André Dell'Occa; Ezequiel Fraga; Roberto Germano; João Ilardia[6]. [7]

Em 20 de outubro de 1903(?), no relatório à Câmara Municipal de Bagé, o Intendente Municipal, José Octávio Gonçalves, relatava o seguinte: Estava decidida a instalação, "a primeiro de março próximo vindouro", de um colégio dirigido por padres Salesianos.

Na quadra "ultimamente demarcada à Praça da Constituição", foi cedida para construção de edifício. [8]

Chegaram à Bagé, em 15 de fevereiro de 1904:

a) padre salesiano André Dell'Occa[9], primeiro diretor;

b) padre salesiano Ezequiel Fraga; [10]

c) padre salesiano João Ollardia[11];

d) padre salesiano Roberto Germano[12]("que chegou a Bagé com pouco mais de 20 anos de idade e faleceu aos 94 anos de idade, sem nunca ter deixado a cidade");

e) clérigo Manoel Ferrando;

f) clérigo Jacinto Avellã;

g) clérigo Felipe Petrini;

h) coadjutor (irmão leigo) Marcelo Rato. Procediam de Montevidéu e Paysandu.[13]

Padre Germano

Em 15 de fevereiro de 1904, "em pleno carnaval", chegou a Bagé o jovem padre Roberto Germano, nascido a oito de maio de 1880, em Rincón de Francia, Departamento de Rio Negro, Paisandú, Uruguai, acompanhado por mais sete Salesianos uruguaios. [14]

Também existe a indicação do dia 14 de fevereiro de 1904, para a chegada dos padres Salesianos em Bagé. [15]

O padre Germano faleceu a 29 de janeiro de 1973.[16]

Padre Germano era filho de Félix Germano e de Maria Bássio Germano, naturais da Itália.[17]

Durante 15 dias (a contar de 15 de fevereiro de 1904), os uruguaios foram hóspedes do Cônego José Inácio Bittencourt, em sua casa, ao lado da Igreja São Sebastião; o então vigário de Bagé liderou o movimento pró-fundação do colégio, com o Intendente José Otávio Gonçalves.[18]

Em 24 de fevereiro de 1904, foi publicado anúncio do Colégio Salesiano, informando a abertura de matrículas para meninos, até o dia 02 de março de 1904, na casa do Reverendo Vigário e, depois, na própria escola, cuja sede provisória foi em um prédio na rua três de Fevereiro.[19]

Em 02 de março de 1904, era aberto o colégio Salesiano de Bagé, no prédio em que funcionou posteriormente o "Ginásio Professora Mélanie Granier", "em cujo porão dormia o Padre Germano. [20]

O Colégio teria funcionado no prédio da "Enfermaria Militar.[21]

No dia 3(?) de março de 1904, foi inaugurado o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora. Foi celebrada missa, em que também se apresentou orquestra dirigida por Bráulio Louzada. [22]

Na verdade, no dia 3 de março de 1904, foi publicada a notícia no jornal O DEVER, que se referia ao dia anterior, 02 de março de 1904: "Ontem (02 de março de 1904), às 9 horas da manhã", realizou-se a inauguração do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora.

A Escola funcionaria num "vasto edifício à rua três de Fevereiro, nº 88, onde antigamente esteve instalada a Enfermaria Militar".

Nas grandes salas, arejadas e ventiladas, foram instaladas as aulas e dormitórios. Numa pequena sala, foi instalada uma capela.

O Colégio foi "declarado instalado" após alocução do Cônego Bittencourt e do padre Dell'Occa, diretor do Colégio. [23]

Durante dois anos, (a contar de 02 de março de 1904?), o "Colégio dos Padres" permaneceu provisoriamente no primeiro prédio em que teria começado a funcionar, enquanto os irmãos Laranjeiras construíam o futuro Ginásio, na zona norte da cidade, em que existiam, em torno da lagoa, apenas duas casas pertencentes a um carpinteiro e a um comerciante, ambos espanhóis. [24]

O Ginásio Nossa Senhora Auxiliadora foi o primeiro da fronteira. [25]

No entanto, os Salesianos já marcavam presença na cidade de Rio Grande, e Bagé seria a Segunda cidade do Rio Grande do Sul a contar com uma Obra Salesiana. [26]

Com o aumento da cidade de Bagé, o Exmo. Dom Francisco de Campos Barreto, Bispo de Pelotas, a cuja diocese pertencia Bagé, dividiu a cidade de Bagé em duas zonas, criando a Paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora, entregando-a aos reverendíssimos padres Salesianos.

A Paróquia de São Sebastião estava na parte Sul da cidade de Bagé e ia até a Rua Marechal Deodoro, e, daí para o Norte era a paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora.

Criaram-se várias capelas, dada a extensão da cidade.

As da Paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora eram as de São José, São Martin, de São Pedro e de São João.[27]

Em 08 de maio de 1919, o Bispo Dom Francisco Campos Barreto confiava aos Salesianos uma nova paróquia, que deveria funcionar na Capela Nossa Senhora Auxiliadora.[28]

Em 1919(?), trabalhavam 11 Salesianos, sendo sete sacerdotes, três clérigos e um irmão. Neste período, o diretor do Ginásio Auxiliadora era o padre Francisco Gayotto, também pároco da igreja Nossa Senhora Auxiliadora. [29]

Ginásio Municipal Nossa Senhora Auxiliadora

Dr. Heitor Schneider. Em 1931, o corpo docente do Ginásio contava com o Dr. Heitor Schneider, Arquiteto e Professor de Desenho. Era Arquiteto Salesiano, diretor das obras do Santuário Nossa Senhora Auxiliadora. "Presentemente” (em 1931?), achava-se em São Paulo, dirigindo as obras do grande Colégio Salesiano de São Bernardo. [30]

Escolas. "A Paróquia de Maria Auxiliadora mantém três Escolas Paroquiais gratuitas:

- (1) O curso noturno pra adultos, empregados no comércio, nas salas do Ginásio, sob a direção do Sr. Dr. Atila Taborda, coadjuvado pelo professor Djalma Coronel;

- (2) Colégio Santa Isabel, num esplendido edifício próprio, construído pela Associação de Damas do mesmo nome;

- (3) Escola São Pedro, numa sala própria junto à capela homônima. [31]

Em 1937, da Matriz de Nossa Senhora Auxiliadora, o vigário era o reverendíssimo padre Leão Muzzarelli, sacerdote Salesiano. [32]

Considerando o ano 1905 como de início das atividades do colégio dos Salesianos, afirmava-se que, "há 32 anos ininterruptos funciona nesta cidade, servindo a sua mocidade estudiosa e à de suas adjacências”. [33]

Em 1937, o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora mantinha os cursos Primários, Ginasiais e Comerciais. [34]

Em 1937, o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora atendia "cabalmente" as exigências das leis de Equiparação, possuindo os Inspetores Federais para os Cursos; Ginasial Seriado e Propedêutico com o Técnico de Perito Contador. [35]

Em 1937, nas várias seções em que o Ginásio se dividia (Internato, semi-internato e Externato), apresentava uma matrícula anual de 500 alunos, aproximadamente. [36]

Em 1937, o Ginásio Nossa Senhora Auxiliadora mantinha um Curso Noturno de preparação aos exames baseados pelo artigo 100 e um Curso gratuito de admissão ao Propedêutico Comercial.[37]

Em 1937, o Ginásio Nossa Senhora Auxiliadora mantinha, nas suas várias seções, matrículas gratuitas e reduções consideráveis, para os menos favorecidos. [38]

Em 1937, O Diretor do Ginásio Nossa Senhora Auxiliadora era o Reverendíssimo padre Octacílio Oliveira, "sacerdote de profunda cultura, de nobres sentimentos e de uma amabilidade sem fim". [39]

"Está instalado em um amplo prédio onde os alunos são acomodados em salas profusamente iluminadas e ventiladas”.

“Suas dependências destinadas a dormitórios dos internos apresentam todos os requisitos necessários para um repouso completo e saudável”.

“O refeitório também observa as condições indispensáveis para lugares adequados a isso”.

“(...) Em um salão próprio está anexo o 'Teatro do Ginásio', onde são em determinadas épocas levadas a efeito peças teatrais que ilustram e sirvam para despertar nos seus alunos o gosto por essa arte, dentro dos moldes artísticos e os mesmo tempo cristãos”.[40]

Quadro nº 1

Os Diretores do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora

Ordem

Nome do Padre

Período

1.

André Dell'Occa

1904-1906

2.

Pedro Rotta

1907

3.

André Dell'Occa

1908-1911

4.

Carlos Peretto

1912-1917

5.

Francisco Gayotto

1918-1922

6.

Antônio Lustosa

1923-1924

7.

Theofilo Tworz[41] paroco6.jpg

Figura 2http://www.auxiliadora.org.br/historia/paroco6.jpg.

1925-1930

8.

José Luiz Valentim

1931-1933

9.

Otacílio Oliveira

1934-1940

10.

Edgar de Aquino Rocha

1941-1946

11.

Érico Schmengler

1947-1951

12.

Mário Ramos

1952

13.

Silvio Sattler

1953-1954

14.

Alfredo Bortolini

1955

15.

Hugo Neves Ferreira

1956-1959

16.

Alfredo Bona

1960

17.

Tercílio Chiarelli

1961-1964

18.

Dario Bertoldi

1965-1968

19.

Lauro Venturi

1969

20.

Guerino Stringari

1970-1971

21.

José Jovêncio Balestieri

1972-1974

22.

Lino Fistarol

1975-1976

23.

Ervin José Conzatti

1977-1982

24.

Theobaldo Heck

1983-1987

25.

Tercílio Nardelli

1988-1991

26.

Nívio Jesus da Silva Hammes

1992-1993

27.

Faustino Chiamenti

1994-1997

28.

Ir. Vanilson Pudell

1998-2003

29.

Dácio Elisio Bona

2003-2004

Quadro nº 1: "Os Diretores do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora". In: ABERTURA DO CENTENÁRIO SALESIANO -COLÉGIO AUXILIADORA(encarte); MINUANO, Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003.

Padre Edgar de Aquino Rocha

O padre Edgar de Aquino Rocha nasceu em Juiz de Fora (Minas Gerais), no dia 18 de dezembro de 1899; em 1924, foi estudar Teologia, na universidade Pontifícia de Turim, doutorando-se em 1927; foi ordenado sacerdote em julho de 1927.

Em 1941, o padre Aquino Rocha foi enviado para Bagé, como diretor do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora.

Entre 1948 e 1969, o padre Aquino Rocha esteve nos EUA, na Califórnia, na cidade de Oakland.

Em 1968, renunciou ao cargo que ocupava nos EUA.

No dia 29 de novembro de 1972, o padre Aquino Rocha, faleceu. [42]

Em 11 de fevereiro de 1941, assumiu a Paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora, ema Bagé. [43]

Em dezembro de 1941, organizou a procissão luminosa em honra de Nossa Senhora Auxiliadora. [44]

Em nove de maio de 1942, inaugurou a gruta de Lourdes. [45]

Em 11 de fevereiro de 1945, inaugurou a Gruta de Lourdes, em São José. [46]

Em 24 de maio de 1946, organizou a "Lâmpada da Paz". [47]

Em 24 de junho de 1944, benção na Capela São João (construída pelo Sr. João Oliveira).[48]

Em 29 de junho de 1944, festa de São Pedro e São Paulo, na Vila Petrópolis. [49]

Em 19 de novembro de 1944, festa de Santa Isabel, na Capela de São José. [50]

Em 26 de novembro de 1944, festa em São Martinho. [51]

Em 29 de junho de 1945, o padre Aquino Rocha celebrou as "Bodas de Prata" da Capela São Pedro (1920?), reestruturando a Escola Paroquial.[52]

Em 18 de novembro de 1945, os vinte e cinco anos da Capela de São Martinho (1920?).[53]

Em 12 de agosto de 1945, inauguração da Capela São Domingos. [54]

Em 1º de março de 1947, inauguração da Capela Santa Leocádia. [55]

ISPEA

Em 1953, era mantido, em Bagé, entre outros, pelos Salesianos, o Oratório Festivo da Capela São Pedro, com 200 crianças.

Foram entregues 200 m. de fazenda para fazer roupas para as crianças do Oratório Festivo da Capela São Pedro.

Cada criança teria recebido, ainda, um brinquedo e um objeto útil.

A Escola Gratuita de São Pedro, sob a orientação do reverendíssimo padre Mário Ramos, que lecionava 200 crianças, ensinadas por seis professoras, funcionando nas dependências da capela. [56]

Em 1955, o ISPEA contava com mais de 200 crianças. A partir de uma planta elaborada por um engenheiro francês, Dr. Bruno, seria construído um salão de festas, com 37 m de fundos, com amplo palco para festas.

Também seriam construídas oito salas de aulas. [57]

Estatutos

O dia 29 de junho era considerado uma data festiva "máxima", para o ISPEA. O Instituto São Pedro de Educação e Assistência teria sido inaugurado e seus Estatutos de Sociedade Civil foram registrados. O ISPEA localizava-se no Bairro Petrópolis, 1º distrito de Bagé, Avenida Santa Tecla, nº 336; o bairro era conhecido como "Povo Novo", bairro tipicamente "operário". O registro nº 128 classificava o registro dos Estatutos do ISPEA.

O Instituto foi fundado em 09 de março de 1952.

O patrimônio era constituído pelos imóveis onde estavam edificados os prédios e pátios do "Instituto S.P.E.A.". O ISPEA pretendia ser mantido também por subvenções dos poderes públicos. Cabia ao diretor ou ao seu representante, receber subvenções dos poderes públicos, por si ou por outros, passando o necessário documento de quitação. Eram entidades anexas aos ISPEA, de acordo com os Estatutos:

a) Escola São Pedro;

b) Oratório Festivo de São Pedro;

c) Associação das Damas de São Pedro;

d) Clube Social São Pedro;

e) Cruzada Infantil São Pedro;

f) Grupo Dramático São Pedro;

g) Assistência aos Pobres São Pedro;

h) Outras organizações Educativas e Assistenciais oportunas. Em caso de extinção, patrimônios e bens, pagas as dívidas, passariam para o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora.

Em 10 de março de 1955, o Diretor-Presidente do ISPEA era o padre Honorino João Muraro.

Ou seja, a fundação foi em 09 de março de 1952, mas os Estatutos foram registrados em 10 de março de 1955, três anos após a data de fundação. [58]

Em 1955, o poder executivo declarava e a Câmara de Vereadores reconhecia de utilidade pública o ISPEA. [59]

Em 1956, o poder executivo e a Câmara de Vereadores autorizaram a doação ao ISPEA de uma área situada na Vila Petrópolis, num total de 2.320 m² , "para a criação de uma Praça de Desportos", com os seguintes limites: Norte, rua IV; Leste, rua VI; Oeste, Avenida Santa Tecla; Sul, propriedade da entidade beneficiária e da sucessão Orvandil de Souza Luz. [60]

Povo Novo

Possivelmente em 1941, foi quando começou a idéia da construção de uma instituição que teria o nome de ISPEA, enquanto obra salesiana em Bagé.

Visitando o pároco da capela do Povo Novo, o padre Muraro teria sugerido a construção de uma grande obra de benemerência naquela região. [61]

Em 1955, o padre Muraro foi designado para a paróquia do "Povo Novo". Imediatamente procurou recursos e "deu início” [62] ao Instituto São Pedro de Educação e Assistência.[63]

O Instituto São Pedro de Educação e Assistência foi fundado no ano de 1955. [64]

Em 1959, o ISPEA já possuía personalidade jurídica e era considerada de utilidade pública pelo Município e pelo Estado.[65]

Em 1959, no ISPEA funciona o Grupo Escolar São Pedro, com 26 professores, com matrícula e freqüência em dois turnos, de 648 crianças, sendo o Jardim de Infância freqüentado por 32 alunos.

Cerca de 400 crianças era oferecido merenda escolar, bem como era prestada assistência à mais de 100 famílias pobres do "arrabalde". [66]

Em 1959, no Pavilhão Centenário de Bagé, inacabado, funcionava a Escola Profissional São Pedro, com curso de corte e costura; bordado à mão e à máquina, tricô, crochê, arte culinária e economia doméstica. [67]

Em 1959, a assistência religiosa era dada na Capela de São João, Capela de São Pedro, no distrito de Palmas e no distrito de Olhos d'Água.[68]

Também funcionava, "no edifício", o Cine-Teatro São Pedro, com uma lotação para 700 pessoas, com quatro sessões cinematográficas semanais e mais duas sessões cinematográficas gratuitas aos domingos.

A cabine do Cine-Teatro possuía dois modernos aparelhos de 16 m/m "Bell & Howell", mas por inúmeras vezes as sessões noturnas apresentavam prejuízos, pois os filmes eram rigorosamente escolhidos e, em geral, de aluguel elevadíssimo. [69]

"Para recreação da população", existia também o serviço de transmissão de alto-falantes, "A Voz do Povo Novo".[70]

"A educação física" era proporcionada pelo Grêmio Esportivo São Pedro, com seu “departamento” de futebol, basquete, vôlei, punhobol, bocha e educação física. [71]

Em 1959, encontrava-se em construção "a residência" para as Irmãs Salesianas Filhas de Maria Auxiliadora. [72]

Em 1959, o ISPEA mantinha as seguintes entidades anexas:

(1º) Escola São Pedro;

(2º) Associação das Damas de São Pedro, encarregada de efetuar a propaganda da instituição e cobrança das mensalidades;

(3º) Oratório Festivo de São Pedro;

(4º) Clube Social São Pedro;

(5º) Cruzada Infantil São Pedro;

(6º) Grupo Dramático São Pedro;

(7º) Assistência aos Pobres São Pedro;

(8º) De acordo com seus Estatutos, outras organizações educativas e assistenciais oportunas. [73]

Conforme balancete do ISPEA para o ano de 1958, o déficit do exercício foi de... Cr$ 1. 296.473, 60. [74]

Conforme balancete do ISPEA para o ano de 1958, o município não havia pagado o auxílio "concedido" em 1958, no valor de Cr$ 357.000,00. [75]

Considerando o Quadro nº 02, no que se refere às contribuições da Prefeitura Municipal para o ISPEA, para o ano de 1958, constava um valor bem menor ao valor que foi informado por ROTERMUND (1959).

Seria de interesse da pesquisa, buscar maiores e melhores informações sobre os dados informados.

Quadro nº 02

Contribuições Municipais (Assistência Social) para o ISPEA

Designação da despesa

Ano

Subtotal (Cr$)

Total (Cr$)

35 - Capela São Pedro para construção de uma escola

1953

5.000,00

33 - Capela São Pedro para construção de uma escola

1954

5.000,00

23 - Instituto São Pedro

1957

35.000,00

22 - Instituto São Pedro

1958

85.000,00

10 - Instituto São Pedro

1960

50.000,00

10 - Instituto São Pedro

1961

80.000,00

09 - Instituto São Pedro

1962

40.000,00

10 - Instituto São Pedro

1963

30.000,00

330.000,00

Quadro 2 - Fonte: MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1953. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1953.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1954. Bagé: Tipografia Minerva, 1954.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1957. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1957.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1958. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1958.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1960. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1960.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1961. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1961.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1962. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1962.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1963. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1963.

Em junho de 1959, o edifício do ISPEA ainda não estava concluído.

Ao que parece, o edifício do ISPEA seria concluído em dezembro de 1959. [76]

Onde estava sendo construído o ISPEA, era um "arrabalde de má fama".

Padre Muraro teria terminado com os bordéis e com as casas de jogo.

Padre Muraro teria nascido no dia 19 de outubro.

Em 1959, era professor no Colégio Auxiliadora e professor na Faculdade de Ciências Econômicas.

Padre Muraro estava "radicado há vários anos" em Bagé.

Padre Muraro era diretor do ISPEA, obra "construída sobre os destroços de barracos que serviam de covil a vagabundos, jogadores e maus elementos”.

Havia parcos recursos para liquidar os débitos do ISPEA e terminar o edifício que estava em construção. [77]

Para Silveira, o Padre Muraro chegou à Bagé no ano de 1955: Honorino João Muraro “aqui chegou a mil novecentos e cinqüenta e cinco".[78]

No lugar em que foi erguido o ISPEA, era antigamente uma "velha chácara". [79]

A "pedra fundamental" foi "lançada" no dia nove de março de 1952, pelo Bispo D. Zattera e pelo padre Érico Schmemgler (em 1973, Schmemgler estava radicado na Alemanha). [80]

Ao longo do tempo, foram surgindo as seguintes instituições junto ao ISPEA:

a) Associação das Damas de São Pedro;

b) Escola São Pedro;

c) o Profissional São Pedro;

d) o Clube Domingos Sávio de Assistência ao Menor;

e) o Ginásio São Pedro;

f) a Escola Técnica "Dr. Celestino Goulart";

g) Assistência Social São Pedro;

h) Paróquia São Pedro;

i) Grêmio Esportivo São Pedro (que já existia quando da chegada do Padre Honorino e que veio a sofrer reformulações).

Em 1973, em fase de desenvolvimento encontravam-se:

a) Centro Social Nova Esperança;

b) Centro Juvenil São Bernardo. [81]

O padre Muraro seria "Florence por nascimento" e que, em tenra idade, foi para a cidade de Ijuí.[82]

A Paróquia São Pedro seria obra do ano de 1963.[83]

No entanto, a construção da igreja de São Pedro, no Bairro Getúlio Vargas, seria iniciada em 1973.

O terreno estava localizado na Avenida Santa Tecla, esquina com a rua Santa Cândida, antiga chácara da família Loureiro.

"A aquisição do terreno foi possível com a venda à Prefeitura Municipal, por 50 mil cruzeiros, de outro terreno do ISPEA, à rua Dr. Freitas, esquina São Carlos".

"Graças ao apoio do Prefeito Antônio Pires", as obras seriam iniciadas na terça-feira, com a terraplanagem no local, por máquinas da Prefeitura. [84]

A paróquia São Pedro, fundada em 03 de março de 1963, teve como primeiro vigário o padre Honorino João Muraro.

Funcionou no Salão do Colégio São Pedro até o ano de 1974, quando foi construído, sob a orientação do padre Geraldo D'Ávila, o prédio próprio na Av. Santa Tecla, nº 500.

A nova igreja foi inaugurada em 22 de outubro de 1974. [85]

Existe a indicação da inauguração da igreja matriz de São Pedro para o dia 20 de outubro de 1974, conforme notícia de jornal, informando a hora da inauguração, às 10 h., no Bairro Getúlio Vargas. [86]

Referências Bibliográficas

ASSOCIAÇÃO RURAL DE BAGÉ. Revista da Exposição(Revista de Bagé): Exposição Rural de Bagé, 1938. Porto Alegre: Of. Graf. da Liv. do Globo, 1938.

ROTERMUND, Harry . "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959.

CORREIO DO SUL. "Padre Honorino João Muraro". Bagé: Correio do Sul ,18 de outubro de 1959.

CORREIO DO SUL. "A Magnífica Obra Salesiana de Caridade e Auxílio à Classe Pobre". In: Correio do Sul, Bagé, 09 de janeiro de 1953

ANUÁRIO DO GINÁSIO MUNICIPAL NOSSA SENHORA AUXILIADORA/1931. Bagé: s/ed. , janeiro de 1932.

VIDA E OBRA DO PADRE ROBERTO GERMANO. Bagé: Oficinas Gráficas da Tipografia e Papelaria CETUBA Ltda., Departamento de Litografia; s/d.

DECRETO Nº 194. "Estabelece Luto Oficial". Gabinete do Prefeito Municipal de Bagé, 29 de Janeiro de 1973. In: VIDA E OBRA DO PADRE ROBERTO GERMANO. Bagé: Oficinas Gráficas da Tipografia e Papelaria CETUBA Ltda., Departamento de Litografia; s/d.

LEI MUNICIPAL Nº 1162. "Concede o Título Honorífico Especial de 'Benemérito' ao Reverendo Padre Roberto Germano e ao Colégio Nossa Senhora Auxiliadora". Gabinete do Prefeito Municipal de Bagé, 22 de maio de 1964.In: VIDA E OBRA DO PADRE ROBERTO GERMANO. Bagé: Oficinas Gráficas da Tipografia e Papelaria CETUBA Ltda., Departamento de Litografia; s/d.

MEDEIROS, Poty. GRANDE OFICIAL DA ORDEM NACIONAL DO MÉRITO EDUCATIVO. Discurso do Ministro Poty Medeiros, vice-presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul. 29 de maio de 1971.In: VIDA E OBRA DO PADRE ROBERTO GERMANO. Bagé: Oficinas Gráficas da Tipografia e Papelaria CETUBA Ltda., Departamento de Litografia; s/d.

EGIM. "A Vida Religiosa em Bagé". In: GUIA ILUSTRATIVO COMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DE BAGÉ. Bagé: EGIM(Editora Guias Ilustrados Municipais); impresso na Tipografia Minerva; 1937.

EGIM. "Ginásio Municipal Nossa Senhora Auxiliadora". In: GUIA ILUSTRATIVO COMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DE BAGÉ. Bagé: EGIM(Editora Guias Ilustrados Municipais); impresso na Tipografia Minerva; 1937.

LICEU CORAÇÃO DE JESUS. "Através das Inspetorias: Bagé - Rio Grande do Sul". In: BOLETIM SALESIANO. Ano III. Nº 7 e nº 8. São Paulo: Of. Liceu Coração de Jesus, julho-agosto de 1952.

CORREIO DO SUL. "Instituto São Pedro de Educação e Assistência(ISPEA)". In: Correio do Sul, Bagé, 29 de junho de 1955.

SILVEIRA, Sandra Devincenzi da. "O Passeio que durou dezoito anos". CORREIO DO SUL. Bagé, 07 de fevereiro de 1973.

GOMES, Herculano. "O Velho ... Povo Novo". CORREIO DO SUL, Bagé, 05 de junho de 1955.

CORREIO DO SUL. MURARO, Honorino João(Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

MINUANO. "A Chegada dos Salesianos em Bagé".In: ABERTURA DO CENTENÁRIO SALESIANO -COLÉGIO AUXILIADORA(encarte); MINUANO, Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003.

MINUANO. "Salesianos Comemoram Cem anos em Bagé". In: MINUANO, Bagé, quarta-feira, 18 de fevereiro de 2004.

MINUANO. "As Obras Salesianas em Bagé". In: ABERTURA DO CENTENÁRIO SALESIANO -COLÉGIO AUXILIADORA(encarte); MINUANO, Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003.

MINUANO. "Os Diretores do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora". In: ABERTURA DO CENTENÁRIO SALESIANO -COLÉGIO AUXILIADORA(encarte); MINUANO, Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1953. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1953.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1954. Bagé: Tipografia Minerva, 1954.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1957. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1957.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1958. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1958.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1960. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1960.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1961. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1961.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1962. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1962.

MUNICÍPIO DE BAGÉ. Lei de Orçamento para o Exercício de 1963. Porto Alegre: Of. Gráficas da Livraria do Globo, 1963.

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE BAGÉ. Lei nº 628; de 1955.

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE BAGÉ. Lei nº 689; de 1956.

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE BAGÉ. Lei nº 1504; de 1968.

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE BAGÉ. Lei nº 1663; de 1971.

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE BAGÉ. Lei nº 1928; de 1977.

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE BAGÉ. Lei nº 2014; de 1979.

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE BAGÉ. Lei nº 2542; de 1988.

CORREIO DO SUL. "ISPEA - Orgulho do Trabalho Educacional". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 1º de maio de 1972.

CORREIO DO SUL. "Auxiliadora". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 14 de outubro de 1973.

.

MUSEU DOM DIOGO DE SOUZA. COLÉGIO NOSSA SENHORA AUXILIADORA - 1904-1984 - (CARTÃO). "Homenagem do Museu Dom Diogo de Souza, da Fundação Attila Taborda, na passagem do 80º aniversário do Auxiliadora". Bagé: MUSEU DOM DIOGO DE SOUZA, 1984.

CORREIO DO SUL. "Colégio e Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora". In: CORREIO DO SUL.Suplemento Especial - Centenário do Colégio Auxiliadora. Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003.

CORREIO DO SUL. "Salesianos: Cem anos no Brasil e Setenta e Nove em Bagé". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 20 de novembro de 1983.

CORREIO DO SUL. "Construção da Igreja São Pedro vai se Concretizar: Início das Obras". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 14 de julho de 1973.

PARÓQUIA DE SÃO PEDRO. "Paróquia São Pedro". In: INFORMATIVO PAROQUIAL SÃO PEDRO. Nº 6. Bagé: Paróquia São Pedro, outubro de 1982.

CORREIO DO SUL. "Povo Novo: O Bairro que a Municipalidade esqueceu". In: CORREIO DO SUL. Bagé, 24 de julho de 1955.

CORREIO DO SUL. "A Igreja Matriz de São Pedro, que será inaugurada hoje, às 10 horas, no Bairro Getúlio Vargas"( legenda de uma foto da igreja).CORREIO DO SUL. Bagé, 20 de outubro de 1974.

Claudio Antunes Boucinha

Diretor do Arquivo Público Municipal


[1] Mons. Costabile Hipólito, um sacerdote napolitano. Fonte:http://www.capuchinhosrs.org.br/obras_view.php?id_atividade=11.http://www.paginadogaucho.com.br/pers/n-honorio-le.htm.http://www.jornalminuano.com.br/noticia.php?id=13936&data=&volta==.

[2]("A Vida Religiosa em Bagé". In: GUIA ILUSTRATIVO COMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DE BAGÉ. Bagé: EGIM (Editora Guias Ilustrados Municipais); impresso na Tipografia Minerva; 1937).

[3]("A Chegada dos Salesianos em Bagé". In: ABERTURA DO CENTENÁRIO SALESIANO-COLÉGIO AUXILIADORA (encarte); MINUANO, Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003)

[4] Aparentemente, haveria equívoco na informação, visto que Peretto não era o Inspetor da Inspetoria do Uruguai. “O primeiro inspetor salesiano no Brasil, Pe. Carlos Peretto (1895-1908) incentivou as escolas profissionais, chegando a criar um espírito nos salesianos e marcar uma tendência que dominou a educação salesiana pelo menos até 1922”. (...) “Quase todas as casas fundadas - especialmente pelo primeiro Inspetor, Pe. Carlos Peretto - abrangiam os cursos profissionais ou o ensino agrícola (MARCIGAGLIA, 1955, p. 81)”. (...) “Durante o governo do 1º Inspetor, Pe. Carlos Peretto (1895-1908), este atendimento especial dirigia-se aos jovens de origens mais humildes”.http://pt.wikipedia.org/wiki/Inspetoria_Salesiana_de_Nossa_Senhora_Auxiliadora.http://www.db-piracicaba.com.br/dombosco/datas.asp.http://www.centrodombosco.com.br/cdb/historico.htm.http://www.inspetoriasalesiana.com.br/quemsomos/historico.php.www.valedoparaiba.com/terragente/.../Davi%20Coura%20Borges.doc.http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/artigos_frames/artigo_061.html.http://sdl.sdb.org/gsdl/collect/salesian/index/assoc/HASHb308.dir/doc.pdf.http://sdl.sdb.org/gsdl/collect/salesian/index/assoc/HASH01b5/e4928ca9.dir/doc.pdf.www.mamamargarita2006.com/vol_15cap1.http://sdl.sdb.org/gsdl/collect/salesian/index/assoc/HASHb858.dir/doc.pdf.http://sdl.sdb.org/gsdl/collect/salesian/index/assoc/HASH72da.dir/doc.pdf.http://bsi2.salesiano.br/isjbdocs/phl8_class_salesiana.pdf.http://www.salesianosuruguay.org/historia/album.asp.

[5] Aparentemente, foi o Pe. José Gamba que teria enviado padres para Bagé. P. José Gamba (1859- 1939). Nacido en el Piamonte, recibe la sotana de manos de Don Bosco, y, poco después de su profesión religiosa, parte para el Uruguay en la segunda expedición misionera. Es ordenado sacerdote en 1883 en Montevideo. Director desde muy joven, maestro de novicios, fundador del Colegio Sdo. Corazón y de Talleres Don Bosco, a la muerte de Lasagna es designado Inspector de Uruguay y Paraguay, donde recién se iniciaba la obra salesiana. Será inspector durante 27 años. En este largo período de gobierno, la obra salesiana se consolida con más de 10 fundaciones. Bondadoso, franco, comunicativo, sagaz. Amó mucho al Uruguay y cuando fue relevado del gobierno inspectorial pidió a los Superiores que lo destinaran a cualquier casa, pero quedándose en nuestra patria, que él hizo suya. Fonte:http://www.salesianosuruguay.org/historia/testigos.asp. Don Bosco crea la Inspectoría del Uruguay, el 8 de diciembre de 1881, poniendo a su frente al P. Luis Lasagna. La Inspectoría comprende las casas de: Villa Colón, Las Piedras, Paysandú. El 17 de marzo de 1893, en Roma, es consagrado obispo Luis Lasagna, será el primero de una serie de 12 obispos que saldrán de las filas de los salesianos de la Inspectoría. Lasagna morirá poco después en un accidente ferroviario y será su sucesor, como Inspector Salesiano, durante 27 años, el P. José Gamba. Fonte:http://www.salesianosuruguay.org/historia/album.asp.

[6] Juan Ilardia.

[7]("A Chegada dos Salesianos em Bagé". In: ABERTURA DO CENTENÁRIO SALESIANO/COLÉGIO AUXILIADORA (encarte); MINUANO, Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003).

[8]("Colégio e Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora". In: CORREIO DO SUL. Suplemento Especial - Centenário do Colégio Auxiliadora. Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003.

[9] “Aos nove de maio de 1937, o superior dos Salesianos em São Paulo, Pe. André Dell’Oca, fundou o Externato Santa Teresinha, escola paroquial para atender as crianças do bairro que acorriam, em grande número, ao Oratório Festivo”. FONTE:http://www.salesianost.com.br/colegio/historico. “Muitas vezes o Santuário [Santuário do Sagrado Coração de Jesus], assistido pelo Pároco P. André Dell'Occa e seus dois auxiliares Pe. Teófilo Tworz e P. João Grubber”. FONTE: “1948 - Coroinha no Liceu Coração de Jesus. O LICEU Coração de Jesus, em São Paulo, nos anos de 1948 e 1949. O FORMANDO Seminarista Jonas Abib, de 1949-1957. História do P. Jonas Abib de 1949, no Liceu até chegar a Lavrinhas”.http://wiki.cancaonova.com/index.php/1948_-_Coroinha_no_Liceu_Cora%C3%A7%C3%A3o_de_Jesus. “O Instituto Teológico Pio XI está completando hoje [Pe. Dr. Luiz Alves de Lima, sdb. São Paulo (Alto da Lapa), 07 de Março de 2006] 75 anos de existência. Fundado em 1931 no dia 07 de Março, então memória litúrgica de Santo Tomás de Aquino, no bairro de Santana (zona norte de São Paulo), transferiu-se para esta sede, no Alto da Lapa, em 1936. Além do Instituto Teológico, outras dimensões da obra salesiana, aqui sediada, também completam 75, tais como o Oratório Festivo, desdobrado depois em Paróquia São João Bosco e Centro Juvenil. No entanto, por falta de tempo, vamos aqui nos referir apenas ao Instituto Teológico Pio XI. Os salesianos do Brasil, até então, estudavam em Turim (Crocetta) ou em Manga, no Uruguai. O Pe. André Dell’Occa, Provincial na época, deu início a uma casa de formação, chamada estudantado teológico, no Bairro do Chora Menino, hoje conhecido com o nome de Santa Teresinha”. FONTE:http://www.pio.unisal.br/midias/75%20Pio%20XI%20-%20evoca%E7%E3o%20hist%F3rica%20-P.Lima.doc.

[10] O Pe. Ezequiel FRAGA nasceu em Paysandu, Uruguay, em 1875. Aos dez anos de idade, entrou no Colégio de Las Piedras. Em1891 era Salesiano. Enviado para o Mato Grosso, ordenou-se padre em Cuiabá, onde trabalhou vários anos. Esteve depois em Bagé, Niterói e Lorena. Voltando ao Mato Grosso, foi secretario de D. Antonio Malan. Quando este deixou a Prelazia de Registro do Araguaia, Pe. Ezequiel o substituiu na qualidade de Administrador da Prelazia, por dois anos. Nomeado o novo Prelado, seguiu para Petrolina, voltando a ser secretario de D. Malan. Faleceu em S. Paulo, em 1930. FONTE:http://sdl.sdb.org/gsdl/collect/salesian/index/assoc/HASH266e.dir/doc.pdf.

[11] Juan Ilardia. O Pe. Juan ILARDIA nasceu em Paysandu cm 1881. Conheceu os Salesianos em sua terra natal. Feito o noviciado, professou em 97. Padre em 1903. Trabalhou em diversas casas do Uruguay e na de Bagé, Brasil, que então pertencia à Inspetoria do Uruguay. Distinguiu-se pela calma com que enfrentava as situações mais difíceis e pela dedicação ao trabalho paroquia1. Foi um bom arquivista. Faleceu em Salto, Uruguay, em 1945. FONTE:http://sdl.sdb.org/gsdl/collect/salesian/index/assoc/HASH266e.dir/doc.pdf.

[12]http://www.usinadeletras.com.br/exibelotexto.php?cod=18776&cat=Cr%F4nicas&vinda=S.

[13]("Salesianos Comemoram Cem anos em Bagé". In: MINUANO, Bagé, quarta-feira, 18 de fevereiro de 2004). ( "Colégio e Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora". In: CORREIO DO SUL. Suplemento Especial - Centenário do Colégio Auxiliadora. Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003).

[14](VIDA E OBRA DO PADRE ROBERTO GERMANO. Bagé: Oficinas Gráficas da Tipografia e Papelaria CETUBA Ltda., Departamento de Litografia; s/d.)

[15]("Salesianos: Cem anos no Brasil e Setenta e Nove em Bagé". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 20 de novembro de 1983).

[16] (VIDA E OBRA DO PADRE ROBERTO GERMANO. Bagé: Oficinas Gráficas da Tipografia e Papelaria CETUBA Ltda., Departamento de Litografia; s/d.)

[17](VIDA E OBRA DO PADRE ROBERTO GERMANO. Bagé: Oficinas Gráficas da Tipografia e Papelaria CETUBA Ltda., Departamento de Litografia; s/d.)

[18](VIDA E OBRA DO PADRE ROBERTO GERMANO. Bagé: Oficinas Gráficas da Tipografia e Papelaria CETUBA Ltda., Departamento de Litografia; s/d.)

[19](O DEVER. Bagé, 24 de fevereiro de 1904. - Pesquisa realizada pelo Núcleo de Pesquisas Históricas Tarcísio Antônio Costa Taborda -. Citada por: "Salesianos Comemoram Cem anos em Bagé". In: MINUANO, Bagé, quarta-feira, 18 de fevereiro de 2004). O anúncio publicado no dia 24 de fevereiro de 1904, estava com assinatura do dia anterior, 23 de fevereiro de 1904, pelo Diretor do futuro colégio, padre André Dell'Occa. (1904-1984 - COLÉGIO NOSSA SENHORA AUXILIADORA (CARTÃO). "Homenagem do Museu Dom Diogo de Souza, da Fundação Attila Taborda, na passagem do 80º aniversário do – Colégio - Auxiliadora". Bagé: MUSEU DOM DIOGO DE SOUZA, 1984).

[20] (VIDA E OBRA DO PADRE ROBERTO GERMANO. Bagé: Oficinas Gráficas da Tipografia e Papelaria CETUBA Ltda., Departamento de Litografia; s/d.).

[21] ("A Chegada dos Salesianos em Bagé". In: ABERTURA DO CENTENÁRIO SALESIANO-COLÉGIO AUXILIADORA (encarte); MINUANO, Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003).

[22] ("Salesianos Comemoram Cem anos em Bagé". In: MINUANO, Bagé, quarta-feira, 18 de fevereiro de 2004).

[23] (1904-1984 - COLÉGIO NOSSA SENHORA AUXILIADORA (CARTÃO). "Homenagem do Museu Dom Diogo de Souza, da Fundação Attila Taborda, na passagem do 80º aniversário do Auxiliadora". Bagé: MUSEU DOM DIOGO DE SOUZA, 1984). ("Colégio e Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora". In: CORREIO DO SUL. Suplemento Especial - Centenário do Colégio Auxiliadora. Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003).

[24] (VIDA E OBRA DO PADRE ROBERTO GERMANO. Bagé: Oficinas Gráficas da Tipografia e Papelaria CETUBA Ltda., Departamento de Litografia; s/d.)

[25] (VIDA E OBRA DO PADRE ROBERTO GERMANO. Bagé: Oficinas Gráficas da Tipografia e Papelaria CETUBA Ltda., Departamento de Litografia; s/d.).

[26] ("A Chegada dos Salesianos em Bagé". In: ABERTURA DO CENTENÁRIO SALESIANO/COLÉGIO AUXILIADORA (encarte); MINUANO, Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003).

[27] ("A Vida Religiosa em Bagé". In: GUIA ILUSTRATIVO COMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DE BAGÉ. Bagé: EGIM (Editora Guias Ilustrados Municipais); impresso na Tipografia Minerva; 1937.)

[28] . ("A Chegada dos Salesianos em Bagé". In: ABERTURA DO CENTENÁRIO SALESIANO-COLÉGIO AUXILIADORA (encarte); MINUANO, Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003).

[29] ("A Chegada dos Salesianos em Bagé". In: ABERTURA DO CENTENÁRIO SALESIANO-COLÉGIO AUXILIADORA (encarte); MINUANO, Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003).

[30] (ANUÁRIO DO GINÁSIO MUNICIPAL NOSSA SENHORA AUXILIADORA/1931. Bagé: s/ed., janeiro de 1932).

[31] (ANUÁRIO DO GINÁSIO MUNICIPAL NOSSA SENHORA AUXILIADORA/1931. Bagé: s/ed., janeiro de 1932).

[32] ("A Vida Religiosa em Bagé". In: GUIA ILUSTRATIVO COMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DE BAGÉ. Bagé: EGIM (Editora Guias Ilustrados Municipais); impresso na Tipografia Minerva; 1937.)

[33] ("Ginásio Municipal Nossa Senhora Auxiliadora". In: GUIA ILUSTRATIVO COMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DE BAGÉ. Bagé: EGIM (Editora Guias Ilustrados Municipais); impresso na Tipografia Minerva; 1937.)

[34] ("Ginásio Municipal Nossa Senhora Auxiliadora". In: GUIA ILUSTRATIVO COMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DE BAGÉ. Bagé: EGIM (Editora Guias Ilustrados Municipais); impresso na Tipografia Minerva; 1937.)

[35] ("Ginásio Municipal Nossa Senhora Auxiliadora". In: GUIA ILUSTRATIVO COMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DE BAGÉ. Bagé: EGIM (Editora Guias Ilustrados Municipais); impresso na Tipografia Minerva; 1937.)

[36] ("Ginásio Municipal Nossa Senhora Auxiliadora". In: GUIA ILUSTRATIVO COMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DE BAGÉ. Bagé: EGIM (Editora Guias Ilustrados Municipais); impresso na Tipografia Minerva; 1937).

[37] ("Ginásio Municipal Nossa Senhora Auxiliadora". In: GUIA ILUSTRATIVO COMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DE BAGÉ. Bagé: EGIM (Editora Guias Ilustrados Municipais); impresso na Tipografia Minerva; 1937)

[38] ("Ginásio Municipal Nossa Senhora Auxiliadora". In: GUIA ILUSTRATIVO COMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DE BAGÉ. Bagé: EGIM (Editora Guias Ilustrados Municipais); impresso na Tipografia Minerva; 1937.)

[39] ("Ginásio Municipal Nossa Senhora Auxiliadora". In: GUIA ILUSTRATIVO COMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DE BAGÉ. Bagé: EGIM (Editora Guias Ilustrados Municipais); impresso na Tipografia Minerva; 1937).

[40] (ASSOCIAÇÃO RURAL DE BAGÉ. Revista da Exposição (Revista de Bagé): Exposição Rural de Bagé, 1938. Porto Alegre: Of. Graf. da Liv. do Globo, 1938.)

[41] “Capela N. S. de Czestochowa. A colônia polonesa, radicada em São Paulo, possui sua capelania na Igreja Nossa Senhora Auxiliadora situada no bairro do Bom Retiro. A capela, dedicada a Nossa Senhora de Częstochowa - Padroeira e Rainha da Polônia, situa-se na lateral direita desta monumental igreja que foi erigida no lugar do antigo santuário de 1914, ao lado do Instituto Dom Bosco. A capela polonesa foi construída sob a direção do primeiro capelão polonês em São Paulo, pe. Teófilo Twórz da ordem Salesiana”. FONTE:http://www.consuladopoloniasp.org.br/publicar/view-not.php?id=452. “(...) É que o Padre Teófilo Twórz, um dos Párocos homenageados, que chegara à surdina e se sentara na platéia, em um cantinho escondido, havia sido então descoberto e era convidado a fazer parte da mesa. Como se não bastasse a presença do Padre Teófilo, que dirigiu espiritualmente o bairro do Bom Retiro de 1933 a 1940, fazendo lembrar em sua fisionomia todas as suas benemerências, levantou-se o Dr. Mário Marchese e, em belo discurso, as apontou uma a uma ao auditório”. Fonte:http://www.auxiliadora.org.br/historia/parocos.htm.“A Colônia Polonesa de São Paulo tem seu centro religioso no magnífico Santuário de Nossa Senhora Auxiliadora, matriz do bairro do Bom Retiro. Numa capela lateral desta monumental igreja, os poloneses, sob a direção do Padre Salesiano Teófilo Twórz, polonês da Silésia, construíram um artístico altar dedicado a Nossa Senhora de Czestochowa, Rainha da Polônia, Padroeira oficial da heróica nação polonesa. (...) Foram capelães, depois do Padre Teófilo Twórz, os Padres Salesianos Antoni Latka, Jan Kasprzyk, Stanislaw Lobaza, Jósef Slazyk e Wladyslaw Klinicki. Em 21 de dezembro de 1996, a Capelania passou a ser dirigida pelo Padre Miroslaw Stepien, da Ordem Sociedade de Cristo (SChr), Ordem que trabalha com os emigrantes poloneses em todo o mundo, possuindo atualmente no Brasil 36 padres”. Fonte:http://www.auxiliadora.org.br/capelania.htm.

[42] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984).

[43] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

[44] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

[45] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

[46] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

[47] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

[48] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

[49] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

[50] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

[51] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

[52] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

[53] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

[54] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

[55] (MURARO, Honorino João (Pe.). "Padre Edgar de Aquino Rocha". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 26 de agosto de 1984.

[56] (CORREIO DO SUL. "A Magnífica Obra Salesiana de Caridade e Auxílio à Classe Pobre". In: Correio do Sul, Bagé, 09 de janeiro de 1953).

[57] (GOMES, Herculano. "O Velho... Povo Novo". CORREIO DO SUL, Bagé, 05 de junho de 1955).

[58] ("Instituto São Pedro de Educação e Assistência (ISPEA)". In: Correio do Sul, Bagé, 29 de junho de 1955)

[59] CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE BAGÉ. Lei nº 628; de 1955.

[60] (CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE BAGÉ. Lei nº 689; de 1956).

[61] (ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959.)

[62] (ROTERMUD parecia desconhecer os movimentos anteriores de construção do ISPEA, desde 1952)

[63] .(ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959).

[64] "As Obras Salesianas em Bagé". In: ABERTURA DO CENTENÁRIO SALESIANO-COLÉGIO AUXILIADORA (encarte); MINUANO, Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003.

[65] (ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959).

[66] (ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959).

[67] (ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959).

[68] (ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959).

[69] (ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959).

[70] (ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959).

[71] (ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959).

[72] (ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959).

[73] (ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959).

[74] (Citado por ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959).

[75] (Citado por ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959).

[76] (ROTERMUND, Harry. "Um Bairro chamado 'Povo Novo'". CORREIO DO SUL. Bagé, 28 de junho de 1959).

[77] (CORREIO DO SUL. "Padre Honorino João Muraro". Bagé: Correio do Sul, 18 de outubro de 1959).

[78] (SILVEIRA, Sandra Devincenzi da. "O Passeio que durou dezoito anos". CORREIO DO SUL. Bagé, 07 de fevereiro de 1973.

[79] (SILVEIRA, Sandra Devincenzi da. "O Passeio que durou dezoito anos". CORREIO DO SUL. Bagé, 07 de fevereiro de 1973).

[80] (SILVEIRA, Sandra Devincenzi da. "O Passeio que durou dezoito anos". CORREIO DO SUL. Bagé, 07 de fevereiro de 1973).

[81] (SILVEIRA, Sandra Devincenzi da. "O Passeio que durou dezoito anos". CORREIO DO SUL. Bagé, 07 de fevereiro de 1973).

[82] (SILVEIRA, Sandra Devincenzi da. "O Passeio que durou dezoito anos". CORREIO DO SUL. Bagé, 07 de fevereiro de 1973).

[83] "As Obras Salesianas em Bagé". In: ABERTURA DO CENTENÁRIO SALESIANO-COLÉGIO AUXILIADORA (encarte); MINUANO, Bagé, Sábado e Domingo, 16 e 17 de agosto de 2003.

[84] ("Construção da Igreja São Pedro vai se Concretizar: Início das Obras". In: CORREIO DO SUL, Bagé, 14 de julho de 1973).

[85] ("Paróquia São Pedro". In: INFORMATIVO PAROQUIAL SÃO PEDRO. Nº 6. Bagé: Paróquia São Pedro, outubro de 1982).

[86] (CORREIO DO SUL. Bagé, 20 de outubro de 1974).

Nenhum comentário: